Orcs

Consultando as mesmas escrituras sagradas nas quais encontrei as origens dos elfos negros, descobri as causas do nascimento de uma outra raça de Morgdan. Ao que parece, as forças malignas não se contentaram em deturpar a bela criação do Iluminado e levaram sua corrupção além. Modificando ao longo de anos um pequeno grupo de elfos negros, as Forças da Corrupção imbuíram poderosos corpos de ódio, sangue, dor e selvageria, resultando em uma raça totalmente nova de criaturas bestiais e violentas, alcançando a verdadeira oposição do povo original. Assim nasceram os orcs da Floresta da Noite Eterna.

Orc

Apesar deste nascimento tão violento, não podemos nos deixar levar pelo preconceito. Comunidades mais distantes de sua região natural já não apresentam a notória selvageria dos orcs originais, podendo até mesmo manter uma convivência pacífica, ainda que tensa, com comunidades vizinhas.

A rápida mutabilidade e adaptabilidade da fisiologia dos orcs, não nos permitem estabelecer uma divisão etnográfica a partir de arquétipos físicos. Dentro de uma mesma comunidade encontramos as mais diferentes características, adquiridas dos inúmeros intercursos raciais que esta raça pratica e assimila. Em comum apenas corpos robustos, orelhas pontiagudas e rasgadas, presas salientes, narizes selvagens e pelos por todo o corpo, mas dentro deste padrão encontramos uma gama enorme de variações estéticas. Assim sendo, a divisão das diversas etnias orcs se dão apenas por aspectos culturais impostos pelos limites geográficos.

A comunidade orc original ainda habita a Floresta da Noite Eterna. Aparentemente com pouquíssima estrutura social, tribos extremamente voláteis se mantêm em um constante estado de guerra nesta região. Os poucos registros que pude obter da existência destas comunidades se deram, em sua maioria, a partir da análise de territórios devastados por eles, capoeiras abandonadas na Floresta e estudo de indivíduos abatidos. O auxílio de rangers elfos foi de vital importância em minhas aventuras pela Floresta da Noite Eterna, sem dúvida um ambiente extremamente hostil, em muito pela presença destas temíveis comunidades orcs, que apreciam a antropofagia.

Felizmente este estado selvagem se mantém apenas na Floresta da Noite Eterna. O prolongado e constante intercurso com comunidades humanas no centro-sul de Morgdan, gerou comunidades orcs muito mais estáveis por toda esta região. Tal interação tornou, inclusive, os meio-orcs, a sub-raça mais expressiva de nosso mundo, com grandes comunidades no reino de Longness, das quais tratarei mais adiante. O caráter belicoso, inerente aos orcs ainda se encontra nos indivíduos do centro-sul, apesar disso, estas comunidades mantêm atividades de manufatura, principalmente em couro e tecidos, adotaram a língua humana e até mesmo mantêm relações comerciais com outros povos da região, se tornando a etnia orc mais desenvolvida tecnologicamente de Morgdan.

O reino de Longness é um capítulo à parte no que tange a estas comunidades. Apesar de sua organização e adaptação ao modo de vida humano, a raça orc não chega a ser expressiva numericamente fora da Floresta da Noite Eterna, com exceção de sua sub-raça, os meio-orcs, no reino de Longness.

Este território sempre foi palco de grandes batalhas, estrategicamente localizado no centro do continente suas terras vinham sendo disputadas pelos mais diversos povos desde a Grande Guerra. Dizem inclusive que a misteriosa esterilidade de suas terras hoje em dia, é resultado não de uma maldição divina, mas do rancor das inúmeras almas presas nestes campos sujos de sangue. Um território tão inóspito se tornou o cenário perfeito para o desenvolvimento de uma raça embrutecida pela natureza e extremamente adaptável a qualquer habitat, como o são os meio-orcs. Em Longness eles formam uma etnia extremamente forte e atuante. Já rivalizam em número com os humanos da região, quase todo o reino se divide entre humanos e a sub-raça dos meio-orcs.

Muito menos organizados e pacíficos são os chamados “orcs do Extremo Oriente”. Registros arqueológicos indicam que durante a Grande Guerra, várias levas de orcs, em intervalos de tempo irregulares, deixaram a Floresta da Noite Eterna e atravessaram a pequena faixa de mar entre as penínsulas de Avalon e Griffion, formando comunidades tribais na região. Certamente estas comunidades pretendiam combater os povos humanos do sul de Griffion, que há muito lutavam ao lado das Forças da Corrupção, mas abandonaram seus antigos aliados para fugir da Grande Guerra.

Ao longo dos anos uma nova etnia orc se formou, adaptando-se à vida na nova Península. Comunidades a beira mar mantêm um estilo de vida extrativista, bem diferente das comunidades “tecnológicas” do centro-sul. A formação de tribos em intervalos de tempo tão irregulares gerou um clima de tensão entre os vários assentamentos e até hoje não são incomuns as disputas por território.

Etnia semelhante se formou na Península Vermelha. Nesta região os orcs também mantêm uma estrutura tribal e contato com o mar, mas possuem uma diferença fundamental. Nesta região, durante a Grande Guerra, orcs e humanos se mantiveram aliados. Desta forma, muitos dos costumes das tribos bárbaras foram adotados pelos orcs, que inclusive possuem uma estrutura militar muito mais organizada que as tribos do Extremo Oriente. Apesar de sua propensão belicosa, esta etnia, e nenhuma outra em Morgdan, chega à selvageria dos orcs da Floresta da Noite Eterna.

Extremamente voltada para a guerra também é a sexta etnia orc de Morgdan: os Shardick. Tudo indica que esta propensão à guerra seja herança de sua cultura original, as comunidades bárbaras da Península Vermelha, aliada às condições inóspitas do Deserto Áureo, região onde habitam. Tanto os shardick quanto as várias comunidades humanas do Deserto Áureo, podem ser classificados em um grande grupo, o Povo do Deserto, que encontra suas raízes em um evento comum.

Registros de guerra oficiais dos elfos, confiados a mim pelo nobre Solkash, revelam uma movimentação de tropas inimigas por trás das linhas de defesa aliadas. Tudo indica que esta grande movimentação de tropas tenha sido feita pelo mar e restos arqueológicos encontrados no norte do Deserto Áureo confirmam esta hipótese. Tudo leva a crer que bárbaros, humanos e orcs, da Península Vermelha navegaram até o norte do Deserto Áureo e lá se estabeleceram formando um novo povo adaptado a este ambiente, depois se espalhando até o Oceano sul, além das Montanhas de Gelo. Deste povo original nasceram as atuais etnias humanas do deserto, das quais tratarei em seu devido tempo, e orcs, que se reúnem sob uma etnia principal, os Shardick, e diversas outras sub-etnias.

Personagens Orcs

Esta entrada foi publicada em e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Orcs

  1. Pingback: O Rei Caído – Capítulo X – Fim | Ordem do Dragão Dourado

Escreva um comentário