Etros

Etros

O excêntrico e astuto deus do destino. Etros nasceu junto com os primeiros jogos de azar de Morgdan. Porém, de maneiras pouco convencionais ele vem conseguindo poder e hoje é um dos mais poderosos deuses.

Etros não possui muitos clérigos. São poucos que seguem sua religião à risca. Mas não há uma só pessoa em Morgdan que não admire ou tema seu poder. Sempre que alguém acha que tem falta de sorte na vida culpa Etros por isso. Mas quando alguém tem muita sorte, ela venera Etros por muito e muito tempo. Templos de Etros costumar realizar jogos de azar e clérigos de Etros modificam sua vida de acordo com a sorte aleatória de dados, cartas, moedas ou outros itens ligados ao acaso.

O deus do acaso é muito inteligente. Alguns o consideram louco, outros apenas o consideram excêntrico. Mas que ele utiliza métodos pouco convencionais não podemos negar. Os relatos sobre esse deus são muito confusos. Em alguns momentos da história ele ajudou Leonar e seus aliados e em outros ele ajuda Nosrredram e os outros. Dizem que ele todo dia de manhã joga um dado, dependendo do resultado do dado ele acorda do lado do bem ou do mal. Mas, não importando o lado que ele esteja hoje, ele é muito astuto e nunca, nunca mesmo, realiza uma ação sem antes pensar em suas conseqüências. Por isso, muitos o considerem um deus perigoso.

Etros possui tantas formas quanto precisar. Não é incomum você esbarrar com o deus do acaso. Todos os relatos dizem que ele vem com roupas sempre em preto e branco, e talvez esta seja a única maneira de identifica-lo. Diz uma lenda antiga, porém pouco comprovada, que se você um dia esbarrar com ele pode ter certeza que terá ou muita sorte ou muito azar durante os próximos sete dias.

Etros tem relações muito estranhas com os deuses. Todos ficam com um pé atrás com ele. Ele acha que Leonar, deus da vida, tem bons conceitos, mas é muito regular, devia mudar de vez em quando. Nosrredram, o deus do mal, para ele, é um deus esperto e astuto, talvez um dia mereça a chance de colocar suas idéias em prática. Acha que Kolthar, deus da justiça, poderia dar mais liberdade para ele usar seu poder. Considera Julian, o deus da alegria, um deus interessante, mas sem motivação aparente. Hellenah, a deusa da tristeza, para ele, é um caso perdido. Acha que Tatsu-kin, o deus da honra, é um deus careta e com objetivos errados. Considera Mog, o deus da violência, um idiota e Jhanna, a deusa da natureza, uma lindeza. Para ele Thinos, o deus do tempo, faz bem o seu trabalho, e só.

Em D&D wikipedia, um clérigo de Etros pode utilizar os domínios: Caos, Sorte, Enganação.

Esta entrada foi publicada em e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Escreva um comentário